terça-feira , 23 janeiro 2018
Início / Rosa Mística Notícias / 3ª edição / SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO

SOLENIDADE DO SANTÍSSIMO CORPO E SANGUE DE CRISTO

“EIS O MISTÉRIO DA FÉ”

Solenidade do Corpo e Sangue

Na Quinta-feira depois da solenidade da Santíssima Trindade, a Igreja celebra a solenidade do Santíssimo Sacramento do Corpo e Sangue de Cristo. Pode-se dizer que esta festa constitui um desdobramento da Quinta-feira Santa. Quer comemorar a presença de Cristo em sua Igreja como “Sacrifício Eucarístico de seu Corpo e Sangue, memorial de sua Morte e Ressurreição: sacramento de piedade, sinal de unidade, vínculo de caridade, banquete pascal, em que Cristo nos é comunicado em alimento, o espírito é repleto de graça e nos é dado o penhor da futura glória”. (SC, n. 47).

Ao celebrar Corpus Christi proclamamos publicamente nossa fé no Santíssimo Sacramento do Altar, pois, conforme o Compêndio do Catecismo da Igreja, 282, “Jesus Cristo está presente na Eucaristia de um modo único e incomparável. De fato, está presente de modo verdadeiro, real, substancial: com o seu Corpo e o seu Sangue, com a sua Alma e a sua Divindade. Nela está presente em modo sacramental, isto é, sob as espécies eucarísticas do pão e do vinho, Cristo completo: Deus e homem”.

Em cada Missa, após as palavras da narração da instituição da Eucaristia, o sacerdote exclama: “Eis o mistério da fé!”. Sim, a Eucaristia celebra toda a fé cristã, todo o mistério de Cristo e da Igreja.

Celebrar Corpus Christi é proclamar nossa fé no “novo e eterno sacrifício, como banquete do amor” (Oração do dia, da Quinta-feira Santa) que se atualiza em cada celebração eucarística.

Vale lembrar o que escreve Santo Tomás de Aquino: “(…) Ninguém seria capaz de expressar a suavidade deste sacramento; nele se pode saborear a doçura espiritual em sua própria fonte; e torna-se presente a memória daquele imenso e inefável amor que Cristo demonstrou para conosco em sua Paixão”.

Celebrar o memorial da entrega sem reserva de Jesus nos leva à partilha da vida e de bens, de forma que não haja fome, miséria e injustiça no mundo em que vivemos.

A Solenidade que celebramos nesse dia contempla, além da Missa, a procissão e a adoração da Santíssima Eucaristia, mas essa expressão pública de nossa fé não pode ser apenas um ato público, como se fosse um espetáculo para o mundo ver. Deve ser, antes de qualquer coisa, expressão de nossa fé e de nosso amor a Jesus Cristo, nosso Senhor.

Côn. Oswaldo Gonçalves Vieira OPraem

Pároco da Paróquia Rosa Mística

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *